domingo, 4 de outubro de 2009

O porquê do furo no cupom fiscal

Desde a primeira vez que usei os caixas rápidos de uma certa loja de varejo, ficava me perguntando porque, ao passar pela saída dessa bateria de caixas, um funcionário pedia o cupom fiscal para perfurar (um furo redondo igual aos furadores comuns de papel).
Um dia resolvi perguntar o motivo ao funcionário responsável pelos furos e, para a minha surpresa, ele disse que não sabia e apenas cumpria ordens. Aquilo me lembrou a história do jovem que foi contratado para bater com um martelo nas rodas dos trens quando estes chegavam à estação... (deixarei a explicação para outro momento)
Esta semana, fui novamente à referida loja (sou frequentador assíduo) e, aproveitando a vinda da supervisora ao caixa em que eu estava sendo atendido, perguntei novamente pelo motivo dos furos. Para minha aterrorizante surpresa, ela disse também desconhecer o motivo. Pensei que, por ser de um nível hierárquico superior, ela certamente saberia me responder.
Porém, maior não foi a minha surpresa ao perguntar ao funcionário dos furos (eu já tinha passado a sempre perguntar), pois, dessa vez, este soube me responder.
Explicou-me, detalhamente, que era para evitar a audácia de algum cliente desonesto que, ao encontrar um cupom (sem furo) perdido pelo estacionamento, resolvesse entrar na loja com o cupom no bolso, abastecer um carrinho com os mesmos itens do cupom e aproveitar um momento de sobrecarga dos caixas rápidos para passar direto à saída e, ao apresentar o cupom para receber o furo, ser liberado com a mercadoria.
Pensei bastante até perceber que isto aconteceria de qualquer modo caso o tal cliente achasse um cupom de alguém que, ao invés de passar pelos caixas rápidos, tivesse sido atendido pelas demais fileiras de caixas (pois estas não furam o cupom).
Porém, um pequeno detalhe na explicação do funcionário resolveu o enigma: Ele disse que ao furar o cupom tinha que conferir data e hora do cupom para garantir que a compra tinha acabado de se realizar. Isto sim, garantiria que o cupom não tivesse sido utilizado para a fraude.
UFA ! Finalmente, a explicação para o furo: Trata-se apenas de pretexto para pegar o cupom do cliente e conferir data/hora. Mais nada além disso.
De agora em diante, ficarei atento para saber se o funcionário que fura o cupom realmente olhará para o relógio todas as vezes... tenho uma discreta desconfiança que isso não acontece, pois lembro de muitas vezes em que o funcionário furou o cupom sem nem olhar para ele...
Isto ilustra o desencontro entre processos e pessoas.